Skip to content

AUDITORIAS PARA ACOMPANHAMENTO E MELHORIAS DOS PROCESSOS

16 de março de 2015

auditoriaA Auditoria em Saúde é essencial para medir uma qualidade da assistência e propor melhorias para os processos em busca de melhores resultados na prática clínica

Serve para avaliar a performance da organização de saúde em relação ao Sistema de Gestão da Qualidade e Segurança, baseado em padrões nacionais e internacionais de excelência, identificando oportunidades para alcançar um melhor desempenho.

É uma opção da instituição identificar qual ou quais os tipos de auditorias fazer.

Tipos de auditorias

Auditoria de Procesos: utilizamos esta prática para avaliar as atividades de um único processo, o objetivo é identificar atapas críticas do processo que comprometem a qualidade do produto e consequentemente a sua entrega. Podemos fazer esta auditoria em UTIs, Pronto Socorros, Farmácias… .

Exemplo1: Durante a auditoria na farmácia identifico que a unitarização é uma etapa crítica do processo, poque suas atividades não estão em fluxo contínuo, ou seja, tenho diversos comprimidos para serem unitarizados e identificados na bancada. Isso representa um risco para o processo visto que é possível etiquetar um comprimido com a identificação de um outro.

Exemplo 2: Faço uma auditoria na UTIe identifico que os monitores multiparâmetros estão com o volume baixo ou desligado, ou identifico a ausência do serviço de fisioterapia na prestação do cuidado para pacientes com suporte ventilatório, ou ainda identifico ausência do serviço de controle de infecção na avaliação das infecções associadas a dispositivo, etc…

Esta auditoria é excelente para identificar fragilidades no processo ou ainda etapas críticas que podem representar uma fonte de perigo.

Auditoria de Sistemas:

Corresponde ao processo de auditoria que avalia a sinegia entre diversos processos frente a uma entrega de impacto direto ao cliente final.

Exemplo1

Sistema de Medicamentos: Para que o medicamento esteja disponível e pronto para uso no centro cirúrgico precisamos do compras, almoxarifado, farmácia, médico, enfermage, etc… Avaliamos a qualidade da entrega (sinergia) em cada passagem de uma processo para o outro. O descumprimento da entrega de um processo, comprometerá o resultado final.

Exemplo 2

Sistema de Gestão da Qualidade: Podemos avaliar o sistema de notificação e análise de eventos e identificarmos a qualidade das análises e o feedback para as áreas notificadoras e notificadas. Além é claro das lições aprendidas frente as notificações e definição de plano de ação e seu monitoramento.

Auditoria de Risco: É a também conhecida como auditoria de barreiras. Inicialmente direcionada para as áreas assistenciais, mas também pode ser usada em áreas de apoio ou até administrativas. Neste modelo de auditoria vamos ver a implantação e efetividade das barreiras para um determinado risco a partir da implantação de um protocolo de prevenção

Exemplo1:

Risco para Broncoaspiração: Dentro do protocolo de prevenção de broncoaspiração temos barreiras como restrição de dieta, elevar a cabeceira do leito, uso de pró cinético, etc…São estas barreiras que vamos identificar se estão implantadas da forma correta e se funcionam.

Exemplo 2:

Risco para Queda: Dentro de um protocolo de queda temos diversas barreiras como retirar tapetes do banheiro, levantar a grade dos leitos, abaixar a cama, realizar rondas, analisar o uso de medicamentos que potencializam o risco, identificar o paciente com risco para queda, etc… Mais uma vez vou ver se estas barreiras estão implantadas e se estão funcionando.

A Auditoria de Risco é bastante utilizada, mas é preciso seguir um modelo bem estudado e prático. Isso poderá significar o resultado da auditoria.

Auditoria Clínica: Envolve desfecho clínico de uma população específica, utilizamos para identificar a efetividade de um protocolo pensando em seu desfecho clínico. Podemos identificar eventos e falhas na prestação do cuidado que comprometeram o resultado assistencial daquele paciente ou daquele grupo de pacientes.

Exemplo: Pacientes em Sepse onde meu objetivo é identificar precocemente e dar alta em até X dias. Neste caso eu vou avaliar se a prestação do cuidado aconteceu como dito no protocolo, se o paciente teve alguma complicação e se a alta ocorreu dentro do previsto. A auditoria clínica pode ser retrospectiva, comcomitante/prospectiva.

O mesmo serve para TEV, AVC, Dor Torácica…

Auditoria Tracer: O Tracer é uma técnica de auditoria muito usada pelas certificadoras para avaliar de forma sistêmica a qualidade da prestação do cuidado. Os auditores usam o prontuário como roteiro para “seguir ou rastrear” tudo o que foi feito com o paciente dentro da instituição. Utiliza-se sempre o prontuário como instrumento para coleta de dados e eviências

Exemplo:

Tracer de paciente cirúrgico: Vou rastrear e seguir tudo que foi feito ao paciente a partir da indicação cirurgica até sua alta, considerando cuidados na internação, pré operatório, trans-operatório, pós-operatório, seguimento e alta. É mais utilizada em tempo real, mas tambem é possível fazer de forma retrospectiva.

É possível também realizarmos esta auditoria para cadeia medicamentosa, Gestão de Pessoas, Finanças…

From → Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: